5 filmes criativos para expandir a sua criatividade.

Criatividade é uma capacidade que pode ser estimulada – por todos nós. Como? Através de repertório criativo: quanto mais referência você tem, mais as ideias fluem.

A bagagem criativa pode ser composta de livros, experiências, conversas, podcasts, entre muitos outros. E claro, filmes!

Sim! A 7ª arte está aí para nos oferecer experiências sem precisar vivenciá-las, para nos passar lições de vida, despertar emoções, e também para ser um instrumento de trabalho!

Por isso, já entrando no clima das premiações do cinema, separamos 5 filmes e como eles nos ajudam a ser mais criativos. (Se você já conhece alguns deles, te convidamos para revê-los com outro olhar.) Então, vamos lá:

.

Us – Como criar um final surpreendente

Suspense dirigido por Jordan Peele, Us é um exemplo prático de como ganhar a atenção plena do espectador do início ao fim.

Afinal, em um mundo onde os anúncios brotam de todo lugar, é preciso disputar a atenção do seu possível cliente.

Pense você: qual foi o anúncio mais marcante que você viu nos últimos tempos? Provavelmente aquele com uma narrativa, ou o que te encheu de curiosidade para saber o desfecho.

E Us nos ensina como:

1 – Despertar a curiosidade

2 – Captar e manter a atenção

3 – Criar desfechos surpreendentes

Um filme que serve como uma bagagem criativa e tanto. E de cereja do bolo é que ele ainda tem uma trilha sonora incrível. Assista ao trailer abaixo:

.

.

Amnésia e A Chegada – Desconstruindo o “início, meio e fim”.

Mais filmes para você adicionar em seu repertório criativo. O que Amnésia e A Chegada tem a nos ensinar, é que as histórias nem sempre precisam ser narradas no modelo ‘início, meio e fim’.

Fugindo da linha temporal tradicional, esses dois filmes podem instalar uma confusão na sua cabeça (o famoso mind blow). Mas relaxa, ambas as narrativas são extremamente cativantes, e não vão te deixar dormir no meio (ou seria no final?)

Veja abaixo os trailers:

.

.

O Grande Hotel Budapeste – Um bom visual diz mais que mil palavras.

O Grande Hotel Budapeste é uma enorme referência criativa, com um design que acaba com qualquer TOC.

Se você já viu algum filme de Wes Anderson, provavelmente já notou sua incessante paixão pela simetria. Se não, clique aqui e se surpreenda.

Mas além do enquadramento milimetricamente perfeito, O Grande Hotel Budapeste usa elementos visuais para contar histórias.

Como? Começando pela projeção. O filme se passa em três linhas do tempo: 1985, 1968 e 1930. E para cada uma delas, um formato diferente de tela.

Ele começa em um formato 16:9, o formato de tela que vemos hoje, para representar os anos 80.

.

Depois, para representar 1968, usa-se 2:35:1. Um formato bem amplo, famoso nos anos 60 como “Cinemascope”.

.

.

E a maioria do longa é feito no formato clássico 4:3, para nos levar ao passado de 1932.

.

.

Agora, um pequeno spoiler de como Wes Anderson usa luz para reforçar uma mensagem: nesta cena, o personagem começa a contar a história do Hotel Budapeste (pelo formato, você já sabe em qual linha temporal está?). A luz e a profundidade mudam a medida que o discurso fica mais denso, a cena se torna muito mais potente, não acha?

.

.

Ao assistir, repare em como a cor, forma, profundidade e luz podem elevar sua comunicação ao próximo patamar. Confira o trailer:

.

.

O Primeiro Mentiroso – Um exercício de imaginação.

Já imaginou um mundo onde ninguém fosse capaz de mentir? O diretor Matthew Robinson, já.

Na base de um humor leve, o longa se passa em um mundo onde não há espaço algum para mentira, pois ninguém sabe como fazê-la.

Até que o primeiro mentiroso surge e consegue “dizer coisas que não são”, você consegue imaginar as consequências disso?

Pois é, O Primeiro Mentiroso não traz só uma narrativa divertida, ela nos faz pensar, nos mínimos detalhes, como este fato impacta na vida das pessoas.

Agora imagine que você está lançando um produto novo no mercado: você seria capaz de identificar todas as consequências dessa novidade?

Não que este filme vá trazer todas as respostas, mas instigar à reflexão, isso com certeza vai.

Assista ao trailer:

.

.

E aí, faltou algum na nossa lista? Deixe nos comentários aqui pra gente e bons filmes! =)

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *